Cartão vermelho para Luxemburgo na política

 - Do Blog do Jorge Wamburg -  
A notícia mais curiosa de sábado foi a condenação do Vanderlei Luxemburgo a um ano e meio de cadeia e o pagamento de 100 salários mínimos de multa por ter tentado fraudar a justiça eleitoral do Tocantins.

Taí um segredinho muito bem guardado: ele queria ser candidato a senador pelo PT em 2009 e deu um endereço inexistente em Palmas, a capital do Estado: ele “se mudou” pra lá mesmo sendo técnico de futebol em São Paulo em tempo integral!

A sentença do juiz eleitoral Gilson Coelho, da 29ª Zona Eleitoral, em Palmas, diz o seguinte:

“Ante o exposto, condeno definitivamente o acusado Vanderlei Luxemburgo da Silva, brasileiro, casado, técnico de futebol, nascido aos 10 de maio de 1952, filho de Rosa Luxemburgo da Silva e Sebastião da Silva, com fundamento nas disposições do artigo 289 do Código Eleitoral, a pena de 01 (um) ano e 06 (seis) meses de reclusão e 09 (nove) dias-multa, cujo cálculo obedecerá à estipulação acima”,

De acordo com o processo, o técnico nunca morou no local presente na papelada, tornando a atitude criminosa. Apesar da condenação, ele não vai pra cadeia, pois terá o direito de cumprir a pena com pagamentos de serviços à sociedade pelo período determinado na sentença.  Além disso, tem direito a recorrer da sentença, o que já anunciou em seu twitter, é claro, por ser tão inocente como um recém-nascido.

Esse é o grande problema: se não conseguir provar no recurso que morava no Tocantins em 2009, quando foi técnico do Palmeiras e do Santos, em São Paulo, Luxemburgo vira um ficha-suja e não poderá se candidatar a qualquer cargo público nos próximos oito anos. 

Comentários